Aprenda a Gerar Riqueza com a Educação Financeira

Aprenda a Gerar Riqueza com a Educação Financeira

Palestra Online Gratuita

Não enviamos SPAM!

Gestão de Contas a Pagar [Parte 1]

Gestão de Contas a Pagar [Parte 1]

Um dos grandes desafios dos empresários é a GESTÃO FINANCEIRA de seus negócios.

É isso que eu e minha equipe de consultores financeiros empresariais vivenciamos em nosso dia a dia.

É em muitas situações há pequenas atitudes que se tornam em grandes problemas, trazendo enormes transtornos para toda a organização.

Pensando em ajudar empreendedores a melhorar sua GESTÃO FINANCEIRA, criamos este material detalhando um das áreas mais críticas nas empresas: a GESTÃO DE CONTAS A PAGAR.

Esse conteúdo vai ser apresentado em 3 partes aqui no blog mas você poderá acessá-lo também em outros formatos (já publicados):

Parte 1: O PROBLEMA!

Vamos começar a primeira parte deste conteúdo fazendo a seguinte pergunta:

 

-Por que tantos empresários desprezam tanto o “contas a pagar”?

Isso mesmo, são dezenas e dezenas de consultorias feitas para empresários e profissionais liberais, e eu estava aqui matutando e revendo o comportamento de muitos deles.

Meu objetivo era entender por que eles deixam tanto de lado o compromisso de simplesmente pagar as contas da empresa em dia.

E o mais interessante é que, desses empresários que analisei, 100% deles estão em situações financeiras delicadas, algumas até críticas.

E fica evidente que estes comportamentos que vou descrever para você tem uma enorme parcela de contribuição para esta situação.

No mundo empresarial fala-se tanto de fluxo de caixa, capital de giro, ponto de equilíbrio, mas sempre de forma superficial.

Ora, se há problemas nessas áreas, certamente erros estão sendo cometidos.

Mas o empresário não analisa isso, ele simplesmente joga a culpa no cliente que atrasa, na carga tributária, na greve dos caminhoneiros, etc.

Ao fazer uma reflexão, começo a perceber que este desprezo pelas “contas a pagar” é um dos fatores que desembocam no descontrole financeiro da empresa, comprometendo seu fluxo de caixa e capital de giro, levando-a a começar a fazer empréstimos, criando e aumentando o desequilíbrio financeiro.

Mas afinal, por que o empresário tem essa postura?

Vamos lá, seguem algumas constatações.

1 – Compras por Impulso

Assim como muitas pessoas compram por impulso na vida pessoal, esse comportamento se repete nas empresas.

Seja um software, uma pequena reforma, mobília, é comum o empresário comprar simplesmente por receber algum estímulo: um vendedor que o aborda, a visita a um centro comercial, a sugestão de um funcionário que não conhece a dinâmica financeira da empresa, etc.

Grande parte das compras por impulso poderiam ser evitadas. A maioria delas são de itens “não essenciais” para a sobrevivência do negócio.

Mas a verdade é que elas acontecem frequentemente e muitas vezes em uma proporção preocupante.

2 – Compras Sem Planejamento

Comprar por impulso já é uma evidência de falta de planejamento.

Mas em muitas situações o recurso é até necessário, porém, não pode ser adquirido sem a devida análise de prazos e disponibilidade financeira.

O gestor empresarial precisa se atentar para esta realidade. Se a aquisição de um recurso colocar em “xeque” a saúde do caixa da empresa, ele deve buscar soluções alternativas, adiando estas despesas.

Com boa vontade e disciplina isso sempre será possível.

3 – Comprar Sabendo Que Não Pode Comprar

Veja que agora a situação vai piorando cada ve

Veja que agora a situação vai piorando cada vez mais.

O empresário sabe que a situação financeira não está boa, está dependendo de certos recebimentos, mas mesmo assim acaba comprando.

O impulso e a “desorganização financeira” falam mais alto.

Em muitos momentos precisamos ser conservadores, pensar em alternativas e se adequar à realidade financeira da empresa.

z mais.

O empresário sabe que a situação financeira não está boa, está dependendo de certos recebimentos, mas mesmo assim acaba comprando.

O impulso e a “desorganização financeira” falam mais alto.

Em muitos momentos precisamos ser conservadores, pensar em alternativas e se adequar à realidade financeira da empresa.

4 – Negocia Mal

Como se não bastassem todos esses erros acima, muitos empresários são péssimos em negociação.

O fornecedor sempre buscará receber da melhor forma. De preferência à vista, em dinheiro e antes da entrega do produto e serviço

Você, por outro lado, deve defender o lado da usa empresa.

As condições de pagamento devem ser estabelecidas de acordo com as possibilidades da sua empresa. Daí a necessidade de se ter uma visão completa de todos os compromissos financeiros.

5 – Excesso de Otimismo

Outro comportamento que faz o empresário ficar desatento ao contas a pagar é o excesso de otimismo.

Ela começa a fazer projeções, começa a contar com o “ovo na barriga da galinha”, e vai comprando dizendo para si mesmo:

 

-Vai dar para pagar!

 

Mas nem sempre dá.

Tudo bem que para ser empreendedor é necessária uma boa dose de ousadia, mas que isso não seja confundido com empolgação gratuita ou irresponsabilidade financeira.

6 – Controles de Cabeça

Mais um hábito dos empresários: a mania de confiar na memória.

Por mais que sua capacidade de guardar informações seja ótima, a chance de acontecer erros é enorme, porque não adianta você lembrar de tudo o que tem que pagar se não houver dinheiro em caixa.

E a verdade e que, muitos confiam na memória, mas passaram 24 horas de tomar determinada atitude, já esqueceram completamente da data e valor comprometidos.

7 – Contas a Pagar É Apenas Um “Sistema de Anotação”

Esse é um dos erros mais clássicos e comuns no mundo das finanças empresariais.

Você tem uma ótima planilha ou um software maravilhoso, mas ele só serve para o registro dos compromissos financeiros.

Ou seja, você não analisa os dados que ali estão registrados, não confronta com as previsões de recebimento e muito menos considera fatores estratégicos, por exemplo, queda de vendas devido a um feriado prolongado, uma despesa inesperada que precisa ser paga em determinada data, etc.

Se você chegou até aqui é porque o conteúdo chamou sua atenção. Espero ter ajudado você a refletir sobre seus comportamentos em relação a este assunto.

Mas tenho muito mais a compartilhar com você. Na segunda parte deste texto vamos falar sobre AS CONSEQUÊNCIAS de uma GESTÃO DE CONTAS A PAGAR ineficaz.

Quero te convidar assinar dois outros canais de comunicação que temos:

Youtube

Podcast

Site

Um grande abraço e até o próximo episódio!

Julio Santos

Tags: | | | | | |

[wwpcaptureend]

About the Author

Julio Santos
Julio Santos

Julio Santos, Educador Financeiro, autor dos livros Educação Financeira para Pais e Filhos, Os 7 Hábitos para o Sucesso Financeiro, Harmonia Financeira para Casais e Princípios Bíblicos da Educação Financeira.

0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

+ +